Milhões, Mil milhões, Biliões ou Triliões? Esclareça a confusão!


Nota: Este artigo aplica-se só a Portugal, pois no Brasil as coisas ficam mais fáceis, devido á similaridade com os EUA da notação.

Não fosse noventa por cento da classe jornalística em Portugal ter tido Matemática apenas até ao nono ano para fugir a partir daí à disciplina dos números, e talvez não tivéssemos este problema crónico de informação numérica, cujo fator multiplicativo é exatamente igual a mil. Os erros são constantes e até em grandes jornais de referência vemos uma confusão constante por exemplo entre mil milhões e biliões.

A Economia é exageradamente parte integrante do nosso quotidiano. Não me perguntem porquê, pois não o sei responder. As relações económicas devem existir desde que existe humanidade, mas nunca a Economia foi tão abrangente e essencialmente tão influente nos meios de comunicação social. Basta pensarmos que por exemplo devem existir tantos jornais económicos, como jornais generalistas. Em Portugal temos o Jornal Económico, o Diário Económico, o Jornal de Negócios e o Semanário Económico. Infelizmente este fenómeno é mundial. Não vejo com a mesma cadência e abundância jornais de Ciência, de Engenharia, de Literatura, Cultura, Bricolagem ou Direito. Posto isto, sendo um facto irrefutável, interessa relevar que a Matemática é uma peça fundamental na Economia, não é por acaso que é lecionada nos primeiros anos das academias dos cursos económico-financeiros. Mas como não há tanto economista para tanta informação económica, propalam pela nossa comunicação social diversas celebridades comentaristas, que de matemática só sabem mesmo fazer algumas contas de merceeiro. E se tal até é eventualmente aceitável em comentadores ocasionais, é todavia muito criticável em jornalistas que escrevem artigos económicos de forma regular.

Esclareçamos as confusões (notação europeia)

Mil
1.000
103
três zeros
1 Milhão
1.000.000
106
seis zeros
Mil milhões
1.000.000.000
109
nove zeros
1 bilião
1.000.000.000.000
1012
doze zeros
Mil biliões
1.000.000.000.000.000
1015
quinze zeros
1 trilião
1.000.000.000.000.000.000
1018
dezoito zeros

Os nossos irmãos brasileiros em vez de bilião ou trilião dizem bilhão ou trilhão.

Um dos grandes problemas deste povo, é que não tem noção quando lhe dizem,  que um parque de estacionamento subterrâneo da EMEL custa 5 milhões de euros, para logo a seguir lhe informarem que o défice pode chegar aos 8 mil milhões de euros. Ora entre estes dois números estão três zeros de diferença, que até mesmo muitos jornalistas têm dificuldades em destrinçar.

Alguns valores com várias notações, para termos noção da grandeza dos números

Valor/Preço
Por extenso
Numeral
Mista 1
Mista 2
Potência
Simples
um café
Sessenta cêntimos
0,60€
60
cêntimos de €

60x10-2
zero vírgula sessenta
uma bicicleta
Duzentos euros
200€


200 €
 dois com dois zeros
um apartamento
Cem mil euros
100.000€
100 mil €

100x103
cem com três zeros
um terreno em Lisboa
Um milhão de euros
1.000.000€
1 milhão de €

1x106
um com seis zeros
Jackpot do Euromilhões
Cem milhões
de euros
100.000.000€
100
milhões de €

100x106
cem com seis zeros
Buraco
do BPN
Seis mil milhões
de euros
6.000.000.000€
6.000
milhões de €
6 mil milhões
de €
6x109
seis com nove zeros
PIB de Portugal
Cento e setenta mil milhões de euros
170.000.000.000€
170.000
milhões de €
170 mil milhões
de €
170x109
170 com nove zeros
PIB da
União Europeia
Catorze   biliões de euros
14.000.000.000.000€
14 biliões
de €

14x1012
catorze com doze zeros

Muitas vezes as confusões vêm das más traduções de artigos em inglês dos meios de comunicação internacionais, pois aquilo que em Portugal se chama mil milhões nos EUA (tal como no Brasil) é denominado por biliões (bilions).

Rogo aos senhores jornalistas mais zelo na informação numérica dos montantes económicos, pois se muitas vezes, nem eles sabem distinguir um milhão de mil milhões, menos se espera que o saiba o leitor comum.